Melhores universidades para fazer um curso EAD

A modalidade de cursos EAD, Ensino a Distância, têm sido cada vez mais reconhecida e procurada. Muitas pessoas desejam melhorar seu currículo se profissionalizando, mas suas rotinas não permitem que se desloquem para uma instituição ou que se dediquem a um intenso horário de estudos. O curso EAD oferece diversos benefícios que podem facilitar a vida de quem busca se capacitar para o mercado de trabalho. Conheça abaixo as melhores universidades para fazer um curso EAD.

Hoje, o número de cursos a distância reconhecidos pelo MEC é muito significativo. Os benefícios são consideráveis: os horários são condescendes, não há perda de tempo com o deslocamento para uma fundação, o curso é mais econômico, você não gasta dinheiro com material de estudo e livros, você pode assistir as aulas em qualquer lugar e o diploma é igualmente reconhecido. Existem diversas instituições, tanto privadas quanto públicas, que oferecem essa modalidade de ensino e ofertam formações em áreas variadas.

Veja abaixo quais são elas:

Universidade Anhanguera

A Anhanguera é uma fundação reconhecida por sua infraestrutura e por suas facilidades no que diz respeito ao ensino não presencial. Você só precisará ir até a universidade no inicio do curso, para as aulas inaugurais, e 2 vezes por semestre para realização de prova, todo o resto é feito online e você tem o auxilio de um tutor a distância. Os polos da Anhanguera são bem localizados, então você não terá problemas na hora de comparecer a uma unidade.

Universidade Estácio de Sá

A Estácio é vista como uma das melhores faculdades do ensino particular do país e ela tem unidades em várias cidades. Os custos são muito compensatórios e a instituição oferece diversas bolsas. Você pode ingressar na Estácio através da sua nota do ENEM ou através do vestibular próprio da universidade.

Quer garantir a sua vaga nesta instituição? Acesse vestibular Estácio e confira prazos de inscrição e realização de provas. Não perca a oportunidade!

Unopar

A Unopar oferece a tão famosa graduação digital, com o diploma reconhecido igualmente ao presencial. Os cursos da fundação são reconhecidos pelo MEC. O material didático é todo gratuito. A Unopar é ideal para quem trabalha e precisa de horários extremamente flexíveis e ela oferece bolsas de estudo de até 60% em algumas circunstâncias.

Unip

A Unip é conhecida por oferecer ótimos cursos com uma menor duração, mas a mesma qualidade de ensino aprovada pelo MEC. Os polos da instituição estão espalhados por todos país. As mensalidades são acessíveis para todos.

Se você busca uma capacitação para o seu currículo mas não tem tempo de se dedicar integralmente a uma faculdade,o ensino a distância pode ser uma excelente opção para você, além dos diversos benefícios em questão. Procure uma instituição condizente com seus requisitos e se informe sobre os vestibulares!

4 passos importantes para ajudar seu filho nos estudos

É comum que as crianças sintam dificuldade em estudar durante alguma fase de suas vidas e conseguir convencê-las de que estudar é bom ou fazer a lição de casa, muitas vezes parece ser uma missão impossível.

Por isso é fundamental que os pais participem da vida escolar dos filhos para garantir um bom desempenho da criança na escola.

Existem vários fatores que levam as crianças a não estudarem, como por exemplo, ela pode não ter entendido a matéria ou passa muito tempo só fazendo a atividade sem ter horário para brincar.

Por isso elencamos 4 passos importantes para ajudar seu filho nos estudos. Confira:

Mostre a importância dos estudos

Se interessar pelo que o filho aprende na escola, fazer perguntas sobre como foi o dia ou qual a novidade que ele aprendeu é uma forma para que a criança perceba o quanto os pais valorizam os estudos. Além de se sentir valorizado, a criança sente que os pais estão interessados em ajudá-lo.

Mostrar interesse dos pais pelos estudos faz com que a criança perceba que estudar não é só necessário para tirar boas notas nas provas e passar de ano. Conversar com as crianças sobre a importância dos estudos e fazer com que elas enxerguem os impactos que a educação causa no futuro é importantíssimo. No entanto, é preciso respeitar o grau de maturidade dos seus filhos nessa abordagem.  

Deixe claro que você pode ajudar

É comum que as crianças, em algum momento, peçam ajuda em um assunto que ela sente dificuldade. Mostre-se sempre disposto a ajuda-lo, nem que seja apenas a ler um texto. Mas é importante que você dê autonomia a ela e respeite seu espaço.

Caso você não domine o assunto que a criança tem dúvidas, seja sincero e diga que você não sabe a resposta, mas que irá pesquisar para, então, ajudá-lo.

Ajude-o a ser organizado

A organização é fundamental em qualquer âmbito, e nos estudos não é diferente. Ajude seu filho a fazer um planejamento de estudos, isso facilita muito a organizar os horários de suas atividades.

Usar uma lista de tarefas diária numa agenda ou calendário ajuda a criança a lembrar, por exemplo, qual o dia da prova, ou qual tarefa está programada para ser entregue no dia seguinte.

Ter um caderno do aluno onde a criança pode anotar as dúvidas ou as dicas que o professor dá também pode ajudá-la. Ela pode até consultar as respostas caderno do aluno quando sentir dificuldade em alguma atividade.

Nunca compare a criança

Fazer comparações com os irmãos ou colegas pode levar seu filho a entender que um é melhor que o outro em determinado assunto, além de poder incentivar a rivalidade entre os dois. Isso só desestimula a criança.

Qual o momento certo de trocar de carro?

Há quem simplesmente sinta vontade e vá a uma concessionária mudar de carro. Outros apenas veem um novo modelo de seu veículo preferido e mudam. Trocar de carro é possível a qualquer momento para quem pode pagar mas pode ser algo a ser feito com mais cautela. Escolhendo o momento certo para a troca economiza-se em diversos fatores e pode-se aproveitar uma melhor oportunidade.

Por que não manter muito tempo um carro?

Poucos hoje mantém o mesmo veículo na garagem por muitos anos. O apego sentimental deixou de ser importante quando se trata de ser dono de um carro. Um dos principais motivos é o preço: quanto mais anos de vida possui um veículo mais barato ele fica

A desvalorização no mercado de automóveis é uma das mais rápidas. É possível vender uma roupa usada poucas vezes por menos R$ 50 do seu valor original, mas com o carro não. Já saindo da loja ele deixa de ser 0 km e começa a valer 10% a menos. Com mais de um ano 30% do valor original é daquele carro o qual você removeu os plásticos dos bancos e pneu.

Manter um veículo novo na garagem por muitos anos não vale a pena no mercado. Sendo comprado 0 km ou não é mais vantagem passar adiante.

O momento certo de vender um 0 KM

Os fãs de modelos de carros do ano que adquirem sempre 0 km devem escolher o momento certo para vender perdendo menos. E qual seria este tal momento? Antes da primeira revisão. 

A primeira revisão deve acontecer sempre entre os 50 e 60 km rodados. É a mais cara, quando deve-se trocar correia dentada, pneus e amortecedores. Se a ideia é economizar em gastos pode colocar para venda. 

Com menos de 60 mil km rodados o veículo está em ótimo uso e com bom valor no mercado. Para quem compra ele arca com baixos custos e aproveitar o bom olhar do mercado por ser um carro semi novo. 

É após os 50 km rodados que as chances das peças começarem a quebrar são maiores. Os mecânicos dizem que é quando “começa a dor de cabeça”. Então trocar por um novo (em especial para quem não entende nada de carros) é o período ideal. 

O momento certo de vender um carro comprado já usado

Com os carros usados é importante manter a ideia de que acima de 200 km rodados ele vale muito pouco. Quanto mais rodar mais chances de perder dinheiro em uma revenda. E com quilometragem alta os problemas são constantes. 

O ideal é vender quando o motor ainda está com o máximo das peças originais. É quando as concessionárias pagam mais se a ideia for dar o veículo como entrada. Não importa o estado da pintura e lataria desde que o motor esteja em ótimo estágio de conservação. 

Os compradores particulares observam mais detalhes de pintura e lataria. Vale a pena levar o carro para a oficina para um ‘martelinho de ouro’ e pintura nova se for muito danifica em acidentes e ação do sol e do tempo.

 

 

7 Coisas para saber antes de comprar um carro usado

Com um aumento gradativo de um veículo 0 KM o carro usado se tornou uma opção mais rentável e atrativa. Mas antes de efetivar a compra alguns cuidados necessitam serem tomados, em especial quando não se conhece com afinco o dono anterior. Confira dicas a seguir. 

O que você deve saber antes de comprar um carro usado?

Decisão tomada se novo ou usado agora é verificar o carro com afinco. Existem sete coisas que todo comprador deve saber antes de fechar o negócio. São elas:

1 – Quem é o vendedor?

A loja é de confiança? O vendedor é de confiança? Você não tem ideia da quantidade de casos de pessoas que pagaram e nunca receberam o carro. As alegações para não sair com ele da loja são diversas, desde uma ‘limpeza’ até “documentação necessária”.

Antes de fechar negócio faça uma breve investigação ou peça referências do vendedor. Indicações de amigos merecem preferência. 

2 – Uma revisão com mecânico deve ser feita

Há quem confie em tudo que o ex dono diz e acredite que ‘pintou o carro” apenas porque queria ele mais bonito. Na maior parte das vezes uma pintura nova mascara muitos danos no motor e carroceria de um acidente grave com comprometimento do veículo. 

Não custa nada pedir para um mecânico de confiança revisar. Quem vai comprar paga o serviço e  assim garante uma negociação honesta e limpa. Se o vendedor não autorizar há algo de errado.

3 – Checar se há débitos é importante

Ou você vai descobrir depois de pegar o carro que necessita pagar o IPVA RJ e outras taxas. Bela surpresa, não? Dependendo do veículo pode custar mais que uma parcela do financiamento. Também não poderá mudar de proprietário na documentação até quitar o saldo.

4 – Verifique os ruídos na marcha lenta

Este é um dos sinais mais clássicos de comprometimento do motor. Use a marcha lenta em um teste drive e poderá sentir se há ruídos graves. Os sons fortes existem, mas qualquer chiado pede uma revisão com cautela e possível troca de peças. 

5 – Faça um teste drive com tudo funcionando

Na propaganda muitos vendedores anunciam desde sistema de som até ar condicionado. Mas está tudo em perfeito estado mesmo? Ligue tudo. Vá com cautela andando com todos os itens e testando as diferentes funções ou abata no valor de compra os reparos.

6 – Verifique chassi e motor

Por que? Para saber se trata-se de um veículo roubado, em especial se encontrou o veículo em um anúncio online. A checagem pode ser realizada em uma vistoria paga no Detran ou se dirigindo diretamente com o proprietário em uma consulta em um posto de atendimento do departamento de trânsito. 

7 – Confira o histórico da marca

Isso vale tanto para levar um 0 km para casa como um usado. Por que? Porque algumas marcas são bem ruins em fornecer peças no mercado e outras costumam apresentar o mesmo defeito em algumas peças com o tempo.

Quando um problema é recorrente demais em um mesmo modelo ou mesma fabricante é olha de abrir o alerta e pensar duas vezes antes de efetivar a compra.

 

Como é feito o pagamento do Seguro DPVAT?

Pedestres e passageiros envolvidos em um acidente de trânsito possuem direito a um seguro mesmo sem pagar por um seguro de vida. Este é o seguro DPVAT, sigla para Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre. Ele pode ser requisitado pelas vítimas de um acidente tendo elas culpa ou não. Saiba como funciona o pagamento do DPVAT a seguir.

Entendendo mais sobre o DPVTA

Apesar de parecer novo para algumas pessoas o DPVAT existe desde 1974. O seguro cobre danos causados a motoristas, pedestres e passageiros envolvidos em acidente de trânsito, as partes consideradas frágeis e sem defesa do processo. 

Este tipo de seguro é para todos os envolvidos no acidente independente de culpa. Essa especificação é importante de ser entendida porque em caso de seguro de veículo ele cobre depois de uma análise de quem é a culpa e não há cobertura em todos os casos. Acidentes naturais, por exemplo, não cobrem. Deixar o carro aberto em um local e ele ser roubado não gera cobertura. 

De onde vem a verba para pagar a todos os envolvidos em um acidente de trânsito? Do proprietário do veículo. Todos os anos ao pagar o Imposto Sobre Propriedade Veicular (IPVA) paga-se também uma taxa referente especificamente ao DPVAT. Por isso ele também é conhecido como seguro obrigatório. 

Um diferencial deste seguro é que cada vítima é indenizada individualmente de acordo com o dano causado pelo acidente. Motorista e passageiro podem receber valores diferenciados.

O que cobre o DPVAT – Valores

Os valores pagos às vítimas do acidente variam de acordo com o tipo de dano. Alguns dos valores pagos são:

  • Fraturas – de R$ 2.700 a R$ 6.500;
  • Amputação de um ou mais membros – R$ 13.500;
  • Perda de um ou mais dedos –  de R$ 1.250 a R$ 2.500;
  • Dentre outros. 

O valor a ser recebido é determinado por um laudo oficial de médico da rede pública. Deve constar no laudo o tipo de dano causado (se é permanente ou temporário) e se a causa foi de fato o acidente.

Como é realizado o pagamento do DPVAT?

Nos últimos anos e deve permanecer assim por mais um tempo é a Seguradora Líder a responsável pelos pagamentos. O processo deve ser iniciado com ela e pode ser feito com ou sem a ajuda de um advogado. 

A solicitação do pagamento do DPVAT 2018 pode ser feita diretamente com a seguradora Líder levando em mãos os seguintes documentos:

  • Boletim ou Certidão de Ocorrência Policial do acidente;
  • RG e CPF da vítima;
  • Laudo médico dos danos causados pelo acidente;
  • Comprovante de residência;
  • Boletim do primeiro atendimento médico-hospitalar após o acidente.

O pagamento do Pagamento DPVAT 2018 é realizado em até 30 dias após a comprovação da documentação. É feita uma análise e pago em conta corrente ou poupança pelo Detran. 

Em caso de morte por acidente de trânsito os herdeiros diretos (esposa e filho) podem entrar com o seguro para receber o valor do benefício. Funciona da mesma forma e com os mesmos documentos da vítima, acrescentando apenas os seus como beneficiário.

Como consultar os débitos do veículo?

O Departamento de Trânsito (Detran) é o órgão regulador de todos os veículos em circulação no Brasil. Ele recebe os impostos e também multa os que estão irregulares. Para o condutor consultar seus débitos é importante para evitar multas e apreensão. Como fazer? Saiba a seguir.

Os principais débitos de um veículo

Manutenção de veículo é por conta do proprietário e ele deve manter em dia para garantir a segurança do motorista e passageiros. Ao Detran fica a responsabilidade de cobrar os impostos para manter o bom estado das vias e sinalização, pagar seus funcionários e manter a ordem do trânsito no país. 

Quais são esses débitos? As obrigações de todo proprietário de carro, moto, caminhão ou afins a pagar são:

  • IPVA e DPVAT – são pagos juntos;
  • Multas de trânsito;
  • Licença/Autorização para trânsito de veiculo – Pagamento Licenciamento 2018.

Tais taxas não podem ficar pendentes no Detran ou o veículo é considerado irregular. No caso das multas devem ser pagas antes da transferência do veículo de sono e somar no máximo 21 pontos ou geram a apreensão da carteira de motorista.

Passo a passo para consultar débitos de um veículo

Existem duas formas de consultar débitos de um veículo. Uma delas é indo até um posto de atendimento do Detran com o documento original em mãos. O proprietário pode se informar por consulta no sistema se há pendências para pagamento do seu carro.

Caso o débito seja do IPVA a Secretaria da Fazenda(Sefaz) também realiza a consulta. Basta buscar uma sede do órgão na cidade e levar documento pessoal com foto e documento do veículo.

Online é outra forma de consultar os débitos. O passo a passo é:

  • Entrar no site do Detran de sua cidade;
  • Busque o botão “consultar placa”;
  • Digite a placa do veículo (letras e números) e clique em “OK”.

Na tela vão surgir as informações referentes ao emplacamento, se é um veículo com permissão para circular ou não. Débitos pendentes também são informados, sendo alguns com possibilidade de quitar online e outros não. 

As multas de trânsito podem ser consultadas no mesmo site por CPF ou por veículo. Multas atreladas ao veículo devem ser quitadas antes de uma transferência de proprietário. Também deve ser pago o IPVA antes de transferir de dono em caso de venda.

Como quitar os débitos de um veículo

O IPVA é um dos débitos mais importantes e seu não pagamento gera multa e apreensão. Para quitar deve-se procurar uma unidade do Detran, do Sefaz ou em alguns estados apenas o site do Departamento de Trânsito e imprimir o boleto. 

Sendo multas de trânsito os boletos são encaminhados para a casa do contribuinte assim como a notificação da multa. O boleto pode ser reimpresso em uma unidade do Detran ou online nos sites do órgão sem pagamento de taxas para segunda via.

As multas devem ser pagas na data de vencimento informada pelo Detran. Contudo, a pontuação permanece por 12 meses desde o momento da infração. Somando 21 pontos na carteira de habilitação do condutor (que pode não ser o proprietário) o documento é suspenso.